domingo, 14 de fevereiro de 2016

Trocadilhos em Redes Sociais - Zoando com trocadilhos ruins...


O que imediatamente vem à minha mente
Quando em redes pessoais ou pessoalmente
Alguém fala ou mostra algo que não compartilho
(Mas que parecia um ótimo trocadilho):





(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Não faça isso!



   O grande guru midiático do século XXI dá seus conselhos a uma grande plateia, cercado de fotógrafos, câmeras de TV e jornalistas:

   ⁃ Em primeiro lugar, meu conselho é: não fazer nada que tenha dado errado para outras pessoas. É preciso aprender não apenas com os próprios erros, mas com os erros dos outros! Se deu errado para outra pessoa, meu conselho é: não faça isso! O seu vizinho bebeu uma poção mágica que prometia tudo, mas acabou morrendo? Não beba! Não faça para si o que deu errado para o próximo!

   O público aplaude.

   ⁃ Em segundo lugar, não imite pessoas bem sucedidas de outras gerações. O que deu certo para gerações passadas em condições totalmente diferentes das atuais tem grande chance de se tornar um grande fracasso. Investir na caça a baleias já foi extremamente lucrativo, mas quem faria isso em  nossa época? Então meu segundo conselho é: não faça nada que tenha dado certo a outras pessoas em outras épocas.

   Novamente o público interrompe com aplausos entusiasmados. 

   ⁃ Meu terceiro conselho: não faça nada que tenha dado certo para outras pessoas de sua própria geração. Só porque o jumento carregado de açúcar consegue atravessar o rio, isso não dá garantia a que outros jumentos o façam com segurança. As pessoas são diferentes e transportam cargas diferentes na vida. Ninguém é igual a você. Meu conselho é: não faça nada que outro já tenha feito, mesmo que tenha dado certo!

   O público aplaude de pé, mais ainda do que nas vezes anteriores.

   ⁃ Por fim, não devemos fazer nada que alguém não tenha feito ainda! A inexperiência e a novidade só é  boa para chegar mais rápido a um fracasso. Ninguém pulou de cabeça de um precipício? E você, vai querer ser o primeiro a experimentar? Quantas medicações novas foram inventadas que levaram à morte quem as experimentou? Meu último conselho é: não experimente nada novo, as pessoas só se dão bem com o que já foi testado exaustivamente!

   O palestrante é ovacionado, cercado pelas pessoas, mas se retira rapidamente sob uma legião de fotógrafos e pessoas da imprensa tentando registrá-lo pela última vez.  Os seguranças o ajudam a chegar mais rápido à saída. Um jovem se aproxima e pergunta, no meio daquela bagunça:

   ⁃ Mas o que é para fazer? Se não devemos repetir os fracassos nem imitar os sucessos de gerações passadas ou das gerações atuais, nem inovar, ó guru, diga-me: o que devemos fazer?

   O guru ouve a pergunta sem parar sua caminhada, cercado pelos seguranças. Algumas pessoas ao seu redor esperam que ele responda esta última pergunta. Ele continua caminhando, saindo do recinto. 

   O jovem insiste: 

   ⁃ Por favor, o que devemos fazer? Qual é o seu conselho?

   Então ele olha para o jovem, continua caminhando e, antes de sair diz:


   ⁃ Meu  conselho? Meu conselho? Eu aconselho você a nunca mais fazer essa pergunta!




(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

domingo, 27 de setembro de 2015

Porque eu amo a Retro-TV

  Muita coisa mudou depois da invenção da Retro-TV e uma das primeiras coisas que fiz foi fazer a assinatura de todos os jogos de Kevi Keegan de 1978, só pra ver se realmente ele era o melhor jogador da Europa naquela temporada. Mas encontro um amigo na rua e ele comenta um movimento que está ganhando força entre os políticos, graças à pressão do público, para barrar o uso da Retro-TV. Fala que devemos fazer como alguns outros países, que já proibiram o uso.
   Acho tudo isso uma bobagem, só porque temos acesso às mortes dos gladiadores ou a possibilidade de assistir os acontecimentos terríveis que foram as guerras mundiais, isso não deixa as pessoas insensíveis à violência, como se tem pregado.
   A outra vertente, os movimentos religiosos que tentam proibir que visualizemos os não encontrados milagres de Jesus, a inexistência de Buda e outros fenômenos religiosos finalmente desmascarado por sua inexistência, não têm a força necessária para proibir o uso deste aparelho que mudou a vida humana como a conhecemos, desde a descoberta de que os raios de luz emitidos no passado podem ser captados e transformados em imagem.
   Verdade que a ausência de som prejudica um pouco as coisas, mas não faltam especialistas em história antiga ajudando na criação das narrações que fazem parte dos pacotes de assinatura.
   Nem mesmo a inconveniente utilização ilegal do aparelho para vasculhar o passado de pessoas ainda vivas é, realmente, algo ruim, apesar da obvia invasão à privacidade que isso possibilita, porque, afinal, nestes últimos 15 ou 20 anos da invenção e dos 7 ou 8 anos que a versão comercial foi lançada permitiu que as pessoas se comportassem de forma mais honesta e passassem a mentir menos, dado que qualquer detetive particular, geralmente com ligações com amigos da polícia ou ex-policiais com versões de aparelhos obtidas de forma ilegal, pode ser contratado por baixo dos panos para utilizar esses aparelhos e encontrar o que você estava escondendo de sua esposa sobre o dia em que você chegou mais tarde do trabalho ou para verificar o real motivo de você ter chegado atrasado a certo dia da semana passado em seu trabalho.
  Sem contar que o aparelho, depois de que foi adotado pelas polícias no mundo todo, praticamente acabou com a criminalidade e a impunidade, dado que obter provas de qualquer crime passou a ser coisa de criança. Quando ficou comprovado que os políticos que queriam proibir o uso do aparelho pela polícia eram os que haviam participado de atividades escusas, toda e qualquer proibição do uso do aparelho pela polícia ficou sendo considerado uma atitude ridícula e passível de desconfiança.
  O que resta, ainda, em vários lugares do mundo, é essa discussão sobre o uso comercial, se o aparelho devia ser proibido, como foi em alguns países do Oriente, ou liberado, como aconteceu na Europa. Estados Unidos, como sempre, metade dos estados proibiu, metade liberou, mas com a exploração comercial, quase todos os estados que haviam proibido o aparelho voltaram atrás. 
   Por fim, só o fato de se poder comprovar que Keegan, o jogador inglês que não foi à Copa do Mundo de Futebol da Fifa de 1978, é muito melhor do que o argentino Maradona, já é por si só, um fato suficiente para que o aparelho jamais tenha o seu uso proibido no Brasil, como aconteceu, é claro, no país vizinho.

(Porque eu amo a Retro-TV - miniconto de ficção científica)

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

A Arca de Manoel


    Poucas pessoas sabem, mas quando Deus resolveu inundar a Terra, não foi só o Noé que foi convidado a criar uma arca para salvar os animais...

    Deus desistiu do outro convidado quando percebeu que Manoel estava construindo um grande aquário para salvar os peixes da inundação...


(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Mulheres e Dinheiro

Mulheres e Dinheiro...
As mulheres não estão atrás do meu dinheiro... Já olhei atrás do meu dinheiro e não tinha nenhuma!
Posted by Victor Martins SantAnna on Sexta, 3 de julho de 2015


(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

Ao Corpo de um Defunto Morto

     Comecei a perguntar às pessoas como poderíamos saber, com certeza, se estávamos vivos ou mortos. As reações foram diversas, uns levavam na brincadeira, outros - a maioria - ficavam assustados e pediam, educadamente, que eu mudasse de assunto. Mas eu estava, naquela época, de fato, vorazmente interessado no assunto. 

     Meu amigo e colega Toninho disse-me que não era possível. O Toninho tinha uma expressão para situações em que algo estranho era descrito, que é a palavra que ele usou para descrever o meu interesse:
     
     - Bizarro!

     Confesso tê-lo plagiado em outras ocasiões em que me apropriei dessa locução e a usei impiedosamente, mas acho que o Toninho me perdoará. O que eu pedi ao Toninho, naquele dia, foi um algoritmo capaz de determinar, para quem o seguisse, o discernimento quanto a sua própria situação de vida - ou de morte.

O Toninho era meu colega da Informática, então não foi preciso explicar para ele o que era "algoritmo". Mas as outras pessoas a quem eu recorria, eu tinha de fazer um preâmbulo explicativo e monótono:

     - Algoritmo é uma sequência finita de passos que permite resolver um problema em um tempo finito. Ou quase isso.

     A questão da finitude é, casualmente, curiosa: se eu estiver morto, acredito que a questão de "tempo" não seja tão importante.

     Mas, informalmente, quando temos de explicar o que é algoritmo, 99 a cada 100 programadores dirá:

     - "Ah! É uma sequência de instruções, que nem uma receita de bolo..." 

     Para a maioria das pessoas, perguntar por uma sequência de passos que me façam saber se eu estou vivo é torturante, angustiante. Poucos levam o questionamento para o lado lúdico. A morte não é assunto a ser discutido. Muitos exigem de mim, mostrando perplexidade, a razão do meu interesse. Então eu conto:

     - Assisti a um filme em que o personagem principal conversava com um menino, mas estava morto e não sabia...

     Não vou dizer o nome do filme - tive uma namorada que me deixou traumatizado porque um dia revelei, antes dela assistir, que no filme "As Virgens Suicidas" elas, as virgens, se matavam. Então, para me proteger de qualquer acusação futura, ao invés de esconder o enredo dado o título da obra, estou criando uma nova forma de anti-spoiler: conto o final, mas não digo o nome do filme.

     Hoje em dia, após sucessos de seriados com Zumbis e de mortos perdidos numa ilha, mas que não sabem que já morreram (não, não vou dizer o nome da série), acho que não haveria tanta perplexidade, medo ou recusa a minha indagação original: "como saber se estou morto" (posso imaginar o Toninho dizer: - Bizarro!)

     De qualquer forma, o problema já foi resolvido. Diante da minha necessidade de enfrentar o nosso bom serviço público, de obter de nossos servidores papéis, certidões e outros documentos burocráticos, veio a mim hoje, mais de uma década depois, a solução ao meu problema proposto. Descobri como, de forma inequívoca, determinar se estou vivo ou morto. A solução é simples! Basta ir ao cartório onde você, se estivesse morto, teria um registro de óbito. Peça a cópia da certidão de óbito em seu próprio nome: se lhe derem... Meus pêsames!

     Bizarro?


(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)
deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

quarta-feira, 13 de maio de 2015

Pergunte ao Victor! Por que quem tem mau hálito quer conversar bem de pertinho?

https://www.facebook.com/textos.teatro/posts/1103008569726109:0

Da estranha série: "pergunte ao Victor!"

Por que quem tem mau hálito quer conversar bem de pertinho?

1) Vai ver todos tem, mas só os que conversam pertinho a gente percebe?
2) porque que o mau hálito está intimamente ligado a - também - não limpar os ouvidos?
3) Porque é de propósito - "faz 3 anos que não escovo os dentes, é o meu maior prazer ver as pessoas sofrerem"... ?
4) Para estudar o outro de perto e ver se descobre pelo hálito gostoso da gente que produto a gente usa e que ele deveria usar?
5) Porque pertinho vai dar pra exibir melhor o conjunto da obra: hálito, suvaco vencido e chulé?
6) Porque como o sujeito(a) não é beijado(a) há séculos, pertinho pode tentar roubar um beijo de alguém desprevenido?
7) Por último, mas não menos importante como hipótese: a pessoa nem percebe que tem mau hálito, na verdade, é o contrário: se acha irresistível e... Acha que seu bafo... "Está abafando"...




(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

terça-feira, 12 de maio de 2015

Como Escrever Textos de Humor - dicas


Ok, não sei, enchi o meu blog de dicas, mas melhor mostrar outras coisas, além da minha coleção de livros...


Aí vão alguns links sobre dicas para escrever com humor:

http://corrosiva.com.br/como-escrever-um-livro/5-dicas-para-escrever-um-texto-engracado/

http://www.comofazertudo.com.br/hobbies/como-escrever-com%C3%A9dia

http://marco-oliveira.com.br/blog/existe-tecnica-para-escrever-humor/

http://www.papodehomem.com.br/dicas-para-escrever-bem-e-fazer-rir-ou-como-diminuir-a-quantidade-de-porcaria-na-internet/

http://pt.wikihow.com/Escrever-um-Esquete-de-Com%C3%A9dia

Ok, por enquanto é isssssso. Apaguei uma antiga postagem que tinha links de livros para download porque os links estavam desatualizados, quem quiser vai ter de fazer como eu: comprar livros!  :-)

Sobre livros que ensinam a escrever humor leia:

(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

segunda-feira, 11 de maio de 2015

Óbvio, O Microconto dos Ovos Mexidos

Óbvio, O Microconto dos Ovos Mexidos:

     - Clara, gema!

(fim)




(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

quinta-feira, 26 de março de 2015

Palavras Docemente Escolhidas - Dúvida Cruel!


Palavras Docemente Escolhidas - Dúvida Cruel!



Fazer poesia, é só escolher palavras:
Achar a melhor que dentro de uma frase encrava;
Escolher sonoridade onde língua trava.
Como plantar sementes depois de uma lavra!

E as sementes crescem e viram o que invejo
(Desde que você não se desvie em tais momentos,
Em que a palavra certa vai pro buraco errado:
Foi plantar batatas e a vaca foi pro brejo)!

Evito essa situação de constrangimento...
Tenho medo de escolher e decidir errado
Que o sabor da sabedoria sempre me atine!

Que a escolha seja simples, deliciosa e bela,
Que eu saiba decidir entre o pote de Nutella
Ou creme crocante do pote de Ovomaltine...


(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português