sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Lip Sync (miniconto de ficção científica)

   Provei da primeira bola de sorvete e o sabor estava errado. Não era abacaxi. Eu pedira "abacaxi" e "passas ao rum" e o primeiro sabor que senti era outro.
   - Acho que se enganaram de sorvete, querida! Tem gosto de chocolate, este abacaxi.
   - Chocolate branco?
   - Não, está com gosto de chocolate, chocolate mesmo!
   Ela sorriu com seus dentes tortos e lábios finos e ressecados, sempre com feridas ou cicatrizes, algo que nunca tinha me agradado em uma pessoa. Mas eu achava minha namorada a mulher mais linda do planeta.
   Eu achava engraçado meus amigos torcerem o nariz pela minha escolha. Eu tinha conhecido Maria e me apaixonado instantaneamente, apesar dela ter tudo o que meus amigos diriam ser próprio de uma mulher feia. Minha mãe até parara de falar comigo, depois de ter confessado que a minha namorada anterior era a nora que ela sempre sonhou.
   Minha namorada anterior fazia com que todos os homens ficassem de olhos grudados em cima dela enquanto passava, quase babando. Mas, eu, para falar a verdade, sempre a achara muito sem graça. Eu ficara um ano sozinho antes de me apresentarem ela como a super-modelo que me faria cair o queixo. No final, com todos me empurrando para cima dela e tentando me convencer de que não existia mulher mais interessante no mundo, o namoro durara exatamente um ano, até eu conhecer e me apaixonar imediatamente por Maria, minha namorada atual.
   Provei a segunda bola de sorvete, com cor de "passas ao rum". Tinha gosto de abacaxi.
   - Mas que coisa estranha, amor! - eu disse - o gosto deste outro...
   Então, de repente, tudo ficou esclarecido. A bola de sorvete tinha o sabor do que eu tinha provado anteriormente.
  Larguei o sorvete e abracei minha namorada. Ela sorriu de um jeito esquisito e eu toquei meus lábios nos lábios dela e senti como se fossem carnudos, macios e molhados e minha língua, ao tocar seus dentes, sentiu que seus dentes estavam perfeitamente alinhados. Entendi que toda minha vida estivera fora de sincronia nos últimos anos e eram os lábios de minha antiga namorada que na verdade eu estava sentindo.
   Foi um beijo muito longo. Durante o beijo, só me ocorreu pensar que ainda haveria uns seis meses até finalmente sentir nos lábios como era aquela mulher que eu beijava.
   - Tudo bem? - Ela me pergunta, me achando estranho.
   - Sim, meu amor... Quero continuar a te beijar sem parar pelos próximos seis meses!
   E ela sorriu apaixonada.

Outros minicontos:
Vá atrás do seu Sonho!
Ora, balas! 
há vários minicontos em http://xeq.me

(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)




deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português
Postar um comentário