segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O Oposto do Amor É...


Nobel da Paz (1986), sobrevivente dos campos de concentração nazistas, o escritor judeu, nascido na Romênia, Elie Wiesel:

O oposto do amor não é nenhum ódio, é a indiferença. O oposto de arte não é a feiúra, é a indiferença. O oposto de fé não é nenhuma heresia, é a indiferença. E o oposto da vida não é a morte, é a indiferença.”

Sempre fico em dúvida sobre a autoria do que se acha na Internet, mas a primeira frase (O oposto do amor não é o ódio, é a indiferença") é MUITO citada na Internet como sendo de Érico Veríssimo (retirada de "O tempo e o Vento")... Será? Dúvidas... Melhor seria consultar o excelente blog "Autor Desconhecido" (da Vanessa Lampert) e perguntar para ela, ela faz um excelente trabalho de pesquisa... Ou se alguém leu "O Tempo e o Vento" e sabe tudo de memória, esclareça!

Bom, para mim o oposto do AMOR não é o ódio é... ROMA... :-)


(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.euquefiz.com - victor@euquefiz.com)






deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português

4 comentários:

Cláudia Martins disse...

O Érico escreveu isso, sim.

"O oposto do amor não é o ódio, mas a indiferença. . . O auto parou diante do Sobrado. Jango, o primeiro a saltar para a calçada, ajudou Eduardo a descer e conduziu-o para dentro da casa. Floriano deixou-se ficar onde estava..." ("O tempo e o vento" Parte 3, Volume 3.

Agora, isso não quer dizer que ele tenha sido o primeiro a dizer algo desse tipo. A frase é suficientemente chavão pra ter sido dita milênios atrás...

VictormS disse...

É, pra falar a verdade, também pensei que a frase era muito óbvia para já não ter sido dita antes por quem quer que fosse... Resta agora uma caça cultural a outras fontes que possivelmente tenham tido a mesma idéia e escrito algo parecido, apenas por diversão, claro... :-)

Anônimo disse...

O texto de Elie wiesel também contém essa frase, mas é muito mais bonito e complexo do que a versão que você tem. Pena que não consigo achá-lo completo na net. :(. Espero q possamos encontrá-lo ( conheci com uma tia já falecida)...

Victor Sant'Anna disse...

É estranho que na Internet, hoje em dia, tenhamos o mundo inteiro nja ponta dos dedos, mas na hora de procurar algo específico, como uma citação, seja um trabalho tão grande que fique quase impossível encontrar qualquer coisa! Isso me lembra aquela frase: "não se pode ter tudo!" Agora faz sentido, pra mim: "não se pode ter tudo, a gente não ia encontrar nada!"