segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Adaptações da técnica 1

Adaptações da técnica 1 - Personalidades que tem nomes ou sobrenomes com nomes com outros significados

Se você conhece uma personalidade qualquer que seja bem conhecida do público, pode aproveitar para criar piadas utilizando esta relação. Vão ficar horríveis, provavelmente serão muito conhecidas, mas é uma opção, para “casos de emergência”. Alguns nomes próprios (nomes de flores como “Margarida”, “Rosa”, etc.) e sobrenomes “Santos” (como em “Sílvio Santos”), “Oliveira”, “Pereira”, “Só”, por exemplo, são facilmente adaptáveis para piadas (muito) ruins.

Adaptações da técnica 1 - Forçando palavras como nomes próprios
Às vezes, por pura preguiça de procurar palavras, podemos “forçar” um segundo significado a uma palavra. Como? Colocando nomes próprios em personagens que correspondam a objetos ou palavras que tenham outros significados.
Se você colocar o sobrenome de “Estevez” em um personagem, vai obter piadas (fracas) como estas...

Texto:
Personagem 1 - Meu nome é Maria Esteves...
Personagem 2 - Maria? Mas onde tu “esteves”?
No caso acima “Estevez” é um sobrenome plausível, mas você pode piorar as coisas criando nomes que jamais existiriam. Segundo algumas pesquisas um dos temas preferidosde quem gosta de humor é “sexo”. Um chinês chamado “Ku” ou um senhor chamado “Seu Pennez” (aproveitando que “seu” pode ter o significado de pronome possessivo ou de pronome de tratamento e que Pennez é pronunciado como “pênis”) podem gerar situações cômicas forçadas.

Texto:
Situação - Personagem 1 está telefonando para a casa de “Seu Pennez” que pode ser um competente encanador (por exemplo)
Personagem 1 – Alô... Estou procurando o “Seu Pennez”!
Personagem 2 – O Pennez não está disponível no momento
Personagem 1 – Mas preciso dele, é urgente! Todos me deram ótimas referências dele... Preciso do Seu Pênnez para desentupir minha saída de esgoto lá atrás!
Personagem 2 – Impossível, o Pennez está visitando um amigo, vai demorar...
Personagem 1 – Por favor! Meu cano dos fundos está vazando, minha cozinha está cheia de merda! Eu só preciso que o Seu Pênnes dê uma olhada nos meus fundos...
Personagem 2 – Ok, faz o seguinte, pega o guia (telefônico) e procura o endereço, o Pennez disse que ia visitar o Seu Ku, mas que talvez demorasse! O Seu Pennez e o Seu Ku são amigos de muito tempo, passam horas juntos!

O famoso esquete “Who's on first” (“Quem está na primeira base”) da dupla americana Abbott & Costello se baseia num diálogo entre os dois comediantes sobre jogadores de baseball com singelos nomes de “Quem”, “O Quê” e “Eu Não Sei” ocupando posições (bases) em um campo de jogo.
Texto (retirado de Sociologia do Mito de Marcelo Stenzel):
Uma das rotinas mais famosas, e mais hilariantes, dos comediantes Lou Abbot e Bud Costello é "Quem está na primeira base?". Lou, como grande fã de beisebol, quer conhecer os nomes dos jogadores do time de Saint Louis, para que ele possa reconhecê-los quando estiverem jogando no parque. Bud diz que "hoje em dia, os nomes deles são realmente estranhos, por exemplo, Quem está na primeira base, Qual está na segunda e Não Sei na terceira". Lou insiste - Mas é isso mesmo que eu queria saber. Você sabe os nomes dos jogadores? – Estou te dizendo, responde Bud, - Quem na primeira, Qual na Segunda e Não sei na terceira. Intrigado, Abott continua – Você sabe o nome dos caras? – Sei, diz Costello – Quero dizer, o nome do cara na primeira base – acrescenta Lou - Quem, diz Costello – O cara da primeira base do time de St. Louis! - diz Lou já irritado– Quem! Responde Bud. – O cara da primeira! – Quem está na primeira, explica Bud – E porque você está me perguntando? Eu não sei - diz Lou – Eu não estou perguntando, estou dizendo: QUEM ESTÁ NA PRIMEIRA!.... E a confusão continua, em uma hilária sucessão de mal entendidos entre os apelidos dos jogadores.
[http://www.geocities.com/mgstenz/livro19032002.html]

Meus textos para teatro e stand-up estão em:
www.euquefiz.com
Postar um comentário