quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Tristeza


  Hoje quero contar uma história triste e verdadeira. O dia em que descobri que a mulher - por quem eu era totalmente apaixonado - não tinha um pingo de amor por mim.

  Fazíamos amor várias vezes por semana e duas ou três vezes por dia. Quanta ilusão! Como eu era apaixonado!

  Comecei a desconfiar daquele sexo gostoso que fazíamos o tempo todo. Então “caiu a ficha”! Percebi que ela só tinha desejo sexual por mim. Ela não me amava! Queria apenas gozar com meu membro dentro dela, se contorcendo e urrando de prazer quando eu a penetrava em qualquer buraco que ela estivesse com vontade de dar. Que tristeza! Que vazio é o prazer indescritível sem amor. Eu não podia aceitar isso. Sexo sem amor! Que vergonha! A mulher que eu amava apenas me desejava furiosa e lascivamente. Prazer, prazer e prazer, ela só o que ela sentia quando estava comigo.

  Queria e ainda quero alguém que me ame, não alguém que me use. Tesão sem amor é feio! É mau! Tive de dar um basta e terminar tudo. Foi o dia mais triste da minha vida! Separar-me daquela mulher que eu chamava de “amor” enquanto, em troca, ela me fazia sexo oral e se masturbava até chegar ao orgasmo. Que horror! 

  Faz vários anos que estamos separados. Ainda não encontrei o amor da minha vida, mas, pelo menos, estou livre desse prazer irresponsável de uma mulher que ficava toda molhadinha ao pensar em mim como um objeto sexual.

  Um dia encontrarei o amor verdadeiro de alguém que possa assistir tv ao meu lado ao invés de só pensar em sexo comigo!


(meus textos para teatro e stand-up estão em: www.textosteatro.com.br - textosteatro @ gmail.com)


deje su mensaje en español - leave your message in English - laisser votre message en français - deixe sua mensagem em português
Postar um comentário